Portal Manhuamirim

Polícia

12/09/2017

Acidente na BR-101: Corpo de dançarina foi sepultado em São João do Manhuaçu

DOMINGOS MARTINS (ES) - Foi sepultado nesta terça-feira, 12/09, em São João do Manhuaçu, o corpo da dançarina Nandeiara Martins Klipel, uma das onze vítimas do grave acidente no sul do Espírito Santo, no domingo, 10/09, na rodovia BR-101.

As tradicionais danças e músicas alemãs deram lugar ao silêncio na manhã de terça-feira (12), em Campinho, Domingos Martins. Grupos folclóricos de vários municípios do Estado estiveram presentes no pavilhão da Igreja Luterana para prestar uma homenagem aos nove dançarinos do Grupo Folclórico Bergfreunde de Campinho.

Vestidos com trajes típicos, os grupos se perfilaram em um espaço próximo ao local onde eram velados os corpos de Aloísio Endlich e Nandeiara Martins Klipel. O momento representou a união de todos os grupos, como relatou o participante do Grupo Di Ballo Granello Giallo, de Venda Nova do Imigrante, Higino Falqueto Júnior.

“Nos pegamos desprevenidos com esse acidente, e no momento do ocorrido estávamos em uma apresentação em Vargem Alta. Fomos convidados para vir para cá e representar o povo de Venda Nova do Imigrante, que também está muito sentido com esse desastre. Este é um momento em que a gente para e presta solidariedade”, lembra Higino.

Participante do Grupo Grupo de Dança Blumen der Erde, da localidade de Soído, Igor Miguel falou sobre a tristeza que todos estão sentindo com o acidente. “Estou muito triste com tudo o que está acontecendo, principalmente porque eu conhecia a Karine, que era minha colega de turma no colégio, e também Nandeiara, com quem eu conversava”, conta o participante do grupo.

A emoção tomou conta de todos os presentes quando os familiares de Nandeiara transportaram o caixão com o corpo da dançarina até o carro da funerária. O sepultamento será na cidade de São João de Manhuaçu, em Minas Gerais.

Irmão de Nandeiara, Otávio Martins falou sobre o sentimento de saudade que irá ficar. “Vai ficar só saudade. Infelizmente não foi só ela, mas outras pessoas, outras amigos, mas eu sei que eles estavam felizes fazendo o que eles adoravam fazer”, disse Otávio.

A família, muito emocionada, seguiu junto em uma van. "A gente tem certeza que ela partiu feliz, porque ela amava o que fazia. Adorava dançar", disse emocionado.

Com informações da Gazeta Online e do Montanhas Capixabas