Terça, 07 de Dezembro de 2021
33 999 509 609
Tecnologia Tecnologia

Tomates cultivados em estufa marciana viram ketchup

Molho experimental foi produzido com frutos cultivados em um ambiente que imita as condições do planeta vermelho

08/11/2021 16h05
109
Por: Redação Fonte: R7

A empresa norte-americana de alimentos Heinz fez uma versão de seu ketchup a partir de tomates cultivados em solo semelhante ao de Marte. O objetivo é entender se os humanos poderiam viver um dia no planeta vermelho, cuja superfície é praticamente desprovida de matéria orgânica e recebe muito menos luz solar do que a Terra.

Para realizar o experimento, a empresa reuniu um grupo de cientistas do Instituto de Tecnologia da Flórida, nos Estados Unidos, para selecionar as melhores sementes e cultivar os tomates dentro de uma estufa sob medida, apelidada de "Redhouse". O local, construído dentro do próprio instituto, imita as condições que os humanos encontrariam ao cultivar produtos em Marte.

O projeto foi um sucesso e o ketchup marciano foi revelado nesta semana, quando uma garrafa do produto embarcou em um voo espacial que atingiu 37 mil metros de altitude antes de retornar ao solo. A Heinz ressalta que o molho experimental foi submetido a rigorosos testes de qualidade antes de serem aprovados.

"Estamos muito animados porque a nossa equipe de especialistas conseguiu cultivar tomates em condições desconhecidas de outro planeta e compartilhar nossa criação com o mundo", afirmou ao portal Daily Mail a diretora de crescimento da Heinz, Cristina Kenz. "Vamos levar o que aprendemos para continuar com nossos compromissos com o cultivo de safras sustentáveis."

Leia também: Astronautas experimentam trajes após seis meses no espaço

O ex-astronauta da Nasa, a agência espacial norte-americana, Mike Massimino, é fã do ketchup da Heinz e chegou até mesmo a levar o produto ao espaço em sua viagem à Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês). Ao MailOnline, ele disse que a comida é um fator fundamental quando se está em uma viagem espacial.

Questionado se ele iria para Marte, agora que sabe que seria possível cultivar tomates para fazer ketchup, Massimino respondeu: "Minha turma de astronautas achou que íriamos para Marte em meados da década de 90, quando a Nasa nos disse que isso poderia acontecer entre 10 e 15 anos. Hoje, acredito que isso realmente acontecerá."

"O que é diferente agora em comparação com quando me tornei astronauta, 25 anos atrás, é que temos a participação de empresas do setor privado. Acho que desta vez vamos conseguir, graças a operadores do setor privado como Elon Musk", completou.

 

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias