Terça, 07 de Dezembro de 2021
33 999 509 609
Tecnologia Tecnologia

'Cemitério' do Google relembra apps e produtos que já se foram

Site reúne as 'lápides' de 166 programas, plataformas, redes sociais e até hardware da empresa que não existem mais

02/11/2021 02h05
190
Por: Redação Fonte: R7

Nos mais de 23 anos de existência do Google, a empresa norte-americana lançou, literalmente, centenas de produtos com as mais diversas funcionalidades, de e-mails a redes sociais, de caixas de som inteligentes a serviços de edição compartilhada. É natural que, ao longo dessa trajetória, muitos e muitos deles tenham ficar para trás. O site Google Cemetery (Cemitério do Google) reúne 166 produtos da empresa que foram descontinuados desde 2006. Relembre (ou conheça) alguns deles

O Orkut foi a primeira rede social da maioria dos internautas brasileiros. Durou 10 anos (de 2004 a 2014) e até hoje muitos não aceitam o fim das comunidades, scraps e outras funcionalidades que fizeram parte de nossas vidas

Outro aplicativo que deixou muitos usuários órfãos é o Google Reader, desativado em 2013 após 8 anos em funcionamento. O leitor de feeds RSS e ATOM tinha uma interface limpa e fácil de organizar e aceitava pesquisas em seu buscador interno e links externos

A eterna rede do Google que nunca conseguiu sair do chão. O Google Plus foi uma tentativa de competir com o Facebook, mas nunca recebeu adesão dos usuários. Após oito anos de existência (2011 a 2019), a rede foi descontinuada pela empresa para usuários individuais

Poucos sabem, mas o Google teve um serviço de corridas muitos anos antes do Uber aparecer. O Google Rides funcionou entre 2007 e 2009, em apenas 14 cidades nos EUA. e servia para encontrar táxis, caronas ou traslados com base na localização do usuário. Só não deu muito certo

O Google Videos nasceu em 2005 como um recurso para hospedar vídeos feitos pelos usuários, mas perdeu essa utilidade um ano depois, quando a empresa comprou um site que se tornou a principal referência na área, o YouTube. Com isso, o Videos foi gradualmente se transformando em um mecanismo de busca de imagens até ser encerrado, em 2012

Nem só de programas vive o Google, e o cemitério também tem alguns equipamentos que saíram de linha. É o caso do Chromecast Pixel, que foi um notebook com sistema operacional baseado no Chrome, o navegador da Google. Foi vendido entre 2015 e 2017, mas acabou não sendo mais produzido desde então

O Google Talk foi uma tentativa de competir com o Whatsapp e outros mensageiros. Durou incríveis 12 anos, mesmo sem nunca ter conquistado uma grande base de usuários. Foi descontinuado em 2017 e a base migrou para o Hangouts, que também já saiu de uso

Em 2004, o Google comprou o app de compartilhamento e organização de fotos Picasa, que se tornou um dos seus serviços de maior duração. A plataforma funcionou durante mais 12 anos até ter seu funcionamento encerrado porque a matriz decidiu deslocar as funções com fotografias para o Google Fotos

Quando surgiu, em 2009, o Google Wave foi anunciado como um ambiente de trabalho no qual os usuários poderiam trabalhar simultaneamente em várias máquinas diferentes, agilizando fluxos de produção. A solução foi fechada menos de um ano depois e depois vendida para outra empresa, por falta de adesão de usuários

O Hangouts, aplicativo de reuniões e troca de mensagens, é um dos últimos a sair do ar, em dezembro de 2020, após quase sete anos em funcionamento. A maior parte das suas funções foi incorporada ao Google Chat.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias